Museu de Paleontologia

Angiospermas-Foraminíferos

Trilobitas

Gimnospermas

Insetos

Poríferos

Crinóides

Cnidários

Equinóides

Braquiópodes

Graptozoários

Briozoários

Condrictes

Gastrópodes

Osteíctes

Bivalves

Anfíbios

Cefalópodes

Répteis

Aves

Mamíferos

 

Angiospermas-Foraminíferos

CAMERINA SPP

Importantes apesar do seu tamanho, estes protozoários em geral microscópicos, foram e ainda são abundantes nos oceanos. Suas conchas calcárias que caíram no fundo do mar em espessas camadas, são o principal elemento que contribuiu para a formação do calcário. Elas são tão comuns que servem de fósseis indicadores para os paleontólogos registrarem os climas do passado.

Grupo do Organismo Foraminíferos
Período Jurássico - Mioceno
Localização Europa, Pacífico Sul e Golfo do México.
   
HYMENAEA SPP

Aparece no registro de fósseis em torno de 100 milhões de anos atrás ; as flores representam um importante desenvolvimento na reprodução das plantas. O fato de atrair insetos fez com que as plantas tivessem um bom índice de sucesso na polinização. As primeiras angiospermas, ou plantas fluorescentes, foram as magnólias. Na ilustração temos uma flor da espécie Hymenaea, membro da família das leguminosas.

Grupo do Organismo Angiospermas
Período Cretáceo
Localização Em todo o mundo.

Gimnospermas

ALETHOPTERIS SPP

 As florestas pantanosas de carvão do Carbonífero cobriam a maior parte do que hoje se conhece como Hemisfério Norte. A Alethopteris tem sementes (pteridosperma), é relativamente delgada, com folíolos afiliados mais retos do que os de seus parentes mais próximos. As samambaias com sementes representaram um grande progresso na evolução das plantas. O embrião da planta permanecia protegido, germinando quando as condições eram muito favoráveis.

Grupo do Organismo Gimnospermas
Período Carbonífero
Localização EUA, Europa, Ásia.
   
PECOPTERIS SPP

Era uma samambaia verdadeira, ou pteridófito ; suspeita-se porém, que alguns membros do gênero evoluíram para samambaias com sementes. As samambaias verdadeiras são pioneiras na história de evolução, incluindo as primeiras folhas complexas e os primeiros ramos com galhos. Hoje, são bem menores e habitam à sombra de árvores angiospermas mais desenvolvidas.

Grupo do Organismo Gimnospermas
Período Carbonífero
Localização Europa, América do Norte, norte da África e Ásia.

Poríferos

RAPHIDONEMA SPP

As esponjas do gênero Raphidonema têm espículas calcárias, com três galhos e são fundidas em um esqueleto rígido. Sua aparência geral é a de uma vaso aberto, bastante alongado, em geral cheio de dobras e coberto com grandes poros e protuberâncias. Nesta ilustração, a espécie R. parcatum

Grupo do Organismo

Filo

Invertebrados

Poríferos

Período Cretáceo
Localização  Europa.

Cnidários

 HALYSITES SPP

Em geral conhecido como olônia, o Halysites é um dos corais de forma tubular, com vesículas internas. O espécime ilustrado - H. cantenularius, foi cortado no sentido transversal, revelando os coralitos individuais com seus tubos, secções horizontais que dão o nome ao grupo. Quando viva, essa colônia, constitui uma série de tubos retos, longos e finos unidos ao longo das bordas.

Grupo do Organismo

Filo

Invertebrados

Cnidários

Período Siluriano
Localização  No mundo tudo.

Braquiópodes

RHYNCHONELLA SPP

O gênero típico das Rhynchonelloidea tem um forâmen pendicular preso entre um par de lâminas ou válvulas deltóides na protuberância (umbo). A maioria dos espécimes têm nervuras radiais e apoio interno simples para o lobóforo (órgão com tentáculos para a natação). As espécimes hoje sobreviventes são um pouco diferentes das fossilizadas há mais de 500 milhões de anos. Na ilustração temos o R. capex do Siluriano

Grupo do Organismo

Filo

Invertebrados

Braquiópodes

Período Siluriano-Ordoviciano Recente
Localização  Europa.

Briozoários

FENESTELLA SPP

Este briozoário reticulado comum, gerou colônias em forma de leques com finas barras transversais unindo os ramos. De um lado de cada ramo havia fileiras gêmeas de zoóides : um pseudomorfo do lado errado de uma colônia de Fenestellas pode não mostrar os zoóides. O espécime da foto é o F. plebeia do Carbonífero inferior.

 

Grupo do Organismo

Filo

Invertebrados

Briozoários

Período Ordoviciano - Permiano
Localização  Europa.

Gastrópodes

TURRITELA SPP

Um cone afilado e espiras ligeiramente achatadas caracteriza o Turritella, fóssil comum em camadas depositadas em regiões oceânicas rasas. Dependendo da espécie, a concha tem 5 cm ou menos de comprimento, com espiras nervuradas e abertura quadrada ou redonda.

Grupo do Organismo

Filo

Classe

Invertebrados

Moluscos

Gastrópodes

Período Cretáceo - Recente
Localização  No mundo todo.

Bivalves

SPONDYLUS SPP

Gênero de fóssil muito comum, é ineqüiválve, com costelas irregulares. Dependendo da espécie, tem estrias irregulares, ou nós partindo das costelas. A valva direita está cimentada no substrato. Um dos membros mais surpreendentes do gênero é a ostra espinhosa do Atlântico (S. americanus), com espinhos longos e delicados.

 

Grupo do Organismo

Filo

Classe

Invertebrados

Moluscos

Bivalves

Período Jurássico - Recente
Localização  No mundo todo.

Cefalópodes

NAUTILLUS SPP

Este espécie de 180 milhões de anos é de um náutilo com câmara. A concha se enrrola acima e por trás da cavidade do corpo, como um chifre de carneiro ; o animal vivo, que tinha tentáculos como uma lula, saía pela abertura e movia-se esguichando água por câmaras cheias de gás dentro da concha.

Grupo do Organismo

Filo

Classe

Invertebrados

Moluscos

Cefalópodes

Período Oligoceno - Recente
Localização Europa, Austrália e Índias Orientais.

Trilobitas

NIOBELLA SPP

Trilobitas de tamanho médio, com comprimento de até 10 cm, apresentam cabeça bem desenvolvida, olhos e pigídio grandes. Possuem oito segmentos toráxicos. Passou quase toda a vida no fundo do oceano, a julgar pelo formato de seus apêndices e por seu sistema digestivo. Na foto o N. homfrayi.

Grupo do Organismo

Filo

Classe

Invertebrados

Artrópodes

Trilobitas

Período Ordoviciano
Localização No mundo todo.

Insetos

LIBELULLA DORIS Fósseis de insetos são raros, em parte devido aos seus exoesqueletos frágeis e fáceis de serem destruídos. Esta larva de libélula é uma das raras exceções, talvez devido a seu habitat : lagoas ou rios com fundos lamacentos, mais propícios à fossilização. Esta família ainda é bastante comum.

 

Grupo do Organismo

Filo

Classe

Invertebrados

Artrópodes

Insetos

Período Mioceno
Localização No mundo todo.

Crinóides

CYATHOCRINITES SPP

Crinóide comum do Paleozóico, possuindo um cálice regular e braços ramificados com uma única fileira de discos, como se pode observar nesta ilustração do C. arthrictus, do Siluriano. Crinóides dotados de talos como este dominavam nos antigos mares do Paleozóico, mas hoje foram substituídos por gêneros móveis, sem talos.  Os crinóides com talos são encontrados nos recifes profundos das regiões tropicais.

Grupo do Organismo

Filo

Classe

Invertebrados

Equinodermos

Crinóides

Período Siluriano - Carbonífero
Localização América do Norte.

Equinóides

MICRASTER SPP

Os equinóides podem ser regulares e irregulares. O Micraster, é irregular; a concha tem a forma de coração com placas radicais curtas. Uma ranhura vai do centro da concha à abertura oral, na lateral, com uma borda baixa correndo nesta direção. Na foto, o M. coranguinum

 

Grupo do Organismo

Filo

Classe

Invertebrados

Equinodermos

Equinóides

Período Creatáceo - Paleoceno
Localização No mundo todo.

Graptozoários

MONOGRAPTUS SPP

Um detalhe da teca de um Monograptus mostra o receptáculo unissexuado bem compactado. É um gênero muito variável, com formato de tecas e receptáculos de lisos a levemente encurvados. O Monograptus é um dos graptozoários mais comuns.

Grupo do Organismo

Filo

Classe

Invertebrados

Hemicordados

Graptozoários

Período Siluriano -  Devoniano
Localização No mundo todo.

Condrictes

CARCHORODON SPP

O tamanho, a forma e as beiradas em serra deste dente mostram que ele pertencia ao C. megalodon, parente do grande tubarão branco moderno do Cenozóico. Comparando o tamanho dos dentes do C. megalodon com o dos tubarões brancos, acredita-se que as espécies extintas atingiam no mínimo 15 metros.

 

Grupo do Organismo

Classe

Vertebrados

Condrichthyes - peixes cartilaginosos

Período Cretáceo - Recente
Localização No mundo todo.

Osteíctes

ACHANTONEMUS SPP

Este peixe fóssil, raridade em camadas do Terciário, parece estar relacionado aos pampas e às cavalas, sendo classificado entre os peciformes. Na foto, o A. subaureus. O gênero é encontrado entre o Eoceno e o Oligoceno, em sedimentos europeus.

Grupo do Organismo

Classe

Vertebrados

Osteíctes - peixes ósseos

Período Terciário
Localização Europa.

Anfíbios

EMICROMELERPTON SPP

Logo após sua evolução, os anfíbios dividiram-se em dois grupos principais. De um deles, os Labirintodontes, surgiram os répteis, enquanto o outro, os Temnospondilídios, não evoluiu. O Micromelerpeton, era membro do último grupo, sua cabeça era larga e achatada, e os membros, curtos. Na foto, a espécie M. anphibia, de depósitos do Permiano inferior na Alemanha.

 

Grupo do Organismo

Classe

Vertebrados

Anfíbios

Período Permiano
Localização Alemanha.

Répteis

SHUOSAURUS

Os Saurópodes, grupo famoso que incluía os Dipodocus e os Apatosaurus, eram dinossauros grandes ; uma espécie que pode ter atingido mais de 30 metros de comprimento. Mas nem todos eram gigantes. O Shuosaurus, media apenas 9 metros e apresentava uma dentadura impressionante, que servia para colher e mastigar plantas.

Grupo do Organismo

Classe

Vertebrados

Répteis

Período Jurássico
Localização Ásia.

Aves

ARCHAEOPTERYX

Fóssil quase completo de Archaeopteryx, encontrado na Alemanha, em 1860, em rochas  calcáeas do Jurássico, em que se esperava encontrar dinossauros e não pássaros. Na foto, o famoso espécime chamado de "Espécime de Berlim", descoberto em 1877.

Grupo do Organismo

Classe

Vertebrados

Aves

Período Jurássico
Localização Alemanha.

Mamíferos

SMILODON SPP

Conhecidos como "Tigres-de-Dentes-de Sabre, estes grandes felinos eram carnívoros comuns nas Américas do Norte e do Sul, no Pleistoceno. Os dentes parecem mortais ; deviam servir para matar a presa ou tinham um papel social. O mesmo estilo de dentição apareceu nos Marsupiais do Plioceno, desparecendo quando os mamíferos placentários dominaram a fauna dos Marsupiais.

Grupo do Organismo

Classe

Vertebrados

Mamíferos

Período Pleistocenos
Localização Américas do Norte e do Sul.